Terça, 07 de Dezembro de 2021 17:23
95 98113 6002
Saúde PANDEMIA NA EUROPA

Romênia enfrenta pior onda de Covid-19

Suspeita generalizada da população contra as vacinas não colabora com a situação

22/11/2021 16h34
Por: Ribamar Rocha Fonte: Ben Wedeman Cristiana Moisescu – CNN em Bucareste, Romênia
Foto Divulgação
Foto Divulgação

“É implacável – implacável”, suspirou a enfermeira Claudiu Ionita, em frente a uma fila de macas no necrotério do Hospital Universitário de Bucareste. Em cada maca estava um corpo dentro de um saco plástico preto.

O necrotério tem capacidade para 15 corpos, mas no dia da visita da CNN havia recebido 41. Os corpos em excesso enchiam o corredor do lado de fora, enquanto lamentos ecoavam de dentro do necrotério. Uma mulher teve permissão para entrar para um vislumbre final de seu pai.

O Hospital Universitário de Bucareste é a maior instalação médica da capital romena que trata pacientes com Covid-19 e está lutando contra a quarta onda do país, a pior de todas da pandemia.

“Nunca pensei, quando comecei este trabalho, que viveria algo assim”, disse Ionita. “Nunca pensei que tal catástrofe pudesse acontecer, que acabaríamos mandando famílias inteiras para seus túmulos.”

Vários andares acima, todos os leitos, exceto um, nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) agora ampliadas do hospital, estavam ocupados. Uma enfermeira estava trocando os lençóis de um leito vago – vazio, porque a pessoa que o ocupava agora estava no necrotério.

A Romênia tem uma das taxas de vacinação mais baixas da Europa.

Pouco menos de 36% da população foi vacinada, embora a campanha de vacinação do país tenha começado bem em dezembro passado.

Funcionários médicos e funcionários atribuem essa baixa taxa de vacinação a uma variedade de fatores, incluindo suspeita das autoridades, crenças religiosas profundamente arraigadas e uma enxurrada de desinformação surgindo nas redes sociais.

Quando a Dra. Alexandra Munteanu, 32, chegou para trabalhar em um dos centros de vacinação de Bucareste após um turno da noite no hospital, ela descobriu que o comparecimento foi baixo. Ela está perplexa com o fato de que a gravidade da doença simplesmente não parece ter sido assimilada. “Há muitos médicos, inclusive eu, que trabalham com pacientes de Covid-19, e estamos tentando dizer às pessoas que essa doença realmente existe”, disse ela.

Uma das conspiradoras antivacinas mais notórias do país é Diana Sosoaca, membro do Senado romeno. Em uma de suas muitas cenas públicas, ela tentou impedir as pessoas de entrarem em um centro de vacinas em seu distrito eleitoral, no nordeste do país.

“Se você ama seus filhos, pare com as vacinas”, diz ela em um videoclipe em sua página do Facebook. “Não os mate!”

As vacinas oferecidas na Romênia foram amplamente testadas para uso em crianças e provaram ser seguras e eficazes, mas isso não a impediu e outras pessoas de espalharem boatos selvagens nas redes sociais e na televisão local.

Autoridades e equipes médicas estão exasperadas com o fato de figuras públicas terem feito tanto para minar seus esforços.

“Veja a realidade”, disse o coronel Dr. Valeriu Gheorghita, médico do exército que dirige a campanha nacional de vacinação. “Temos nossas UTIs cheias de pacientes. Temos muitos casos novos. Temos, infelizmente, centenas de mortes todos os dias. Essa é a realidade. E mais de 90% dos pacientes que morreram não foram vacinados.”

Em Bucareste, uma enorme faixa foi erguida, cobrindo metade da fachada de um edifício em uma grande avenida. “Eles estão sufocando. Eles estão nos implorando. Eles estão se arrependendo”, são as palavras impressas em enormes letras pretas acima de fotos em preto e branco de médicos lutando por pacientes com Covid em uma UTI.

Lá embaixo, poucos transeuntes olham para o pôster e menos ainda se importam em compartilhar seus pensamentos com a CNN. Em breve, porém, essa bandeira será erguida em outras grandes cidades do país.
“Há manipulação”, disse uma mulher que se chamava apenas de Claudia, acrescentando: “Algumas pessoas não acreditam nas vacinas”.

Prefeito: ‘Não é uma vacina segura’

Em nenhum lugar essa suspeita é mais aparente do que no interior, onde as taxas de vacinação de Covid-19 despencaram para cerca de metade se comparadas às das áreas urbanas.

O Condado de Suceava, a uma hora de voo a nordeste de Bucareste, tem a menor taxa geral de vacinação do país.

Aqui, o gerente do hospital principal, Dr. Alexandru Calancea, 40, fala sobre a particularidade desta região, onde nasceu e foi criado.

“Este concelho é muito religioso. Esta é uma zona com uma forte tradição religiosa, e muita gente religiosa. […] Muito poucos [padres] são a favor da vacina, e com certeza conheço alguns que são antivacinas. A maioria opta por não dizer nada, nem a favor nem contra. Temos provas, desde o hospital, de pacientes que vêm das mesmas comunidades religiosas, onde o seu padre, ou o seu pastor, os aconselhou a não se vacinarem, apenas assim.”

Nos arredores de Suceava, no vilarejo de Bosanci, esse pastor também serve como prefeito do vilarejo. Neculai Miron tem sido uma das figuras públicas antivacinas mais ativas do país e hoje não é diferente.

“Não somos contra a vacinação, mas queremos verificá-la, para satisfazer nossas preocupações, porque houve muitos efeitos colaterais”, disse ele à CNN. “Não achamos que os componentes da vacina sejam muito seguros. Não é uma vacina segura”.

Os dados médicos não o influenciam, nem o médico local, a quem ele levou a equipe da CNN para ver.

A Dra. Daniela Afadaroaie administra a vacina em cerca de 10 pessoas a cada dois dias, usando a vacina da Johnson & Johnson. Os últimos registros oficiais mostram que pouco menos de 11% da vila foi vacinada no início de novembro de 2021.

Enquanto ela falava sobre a situação na aldeia, o prefeito Miron rondava a mesa do médico, espiando os papéis em sua mesa para ver quem havia sido vacinado.

“Quando você vai ser vacinado, Sr. Prefeito?” perguntou Afadaroaie, rindo.

“Eu não preciso ser vacinado”, ele rebateu. “Estou perfeitamente saudável.” A explicação do médico de que a vacina ajuda a mantê-lo assim caiu em ouvidos surdos.

Pastor: ‘Eu acredito no que vejo, mais do que no que ouço’

Em vilas rurais como esta, a pobreza e a falta de educação, junto com a influência pessoal dos líderes locais e as crenças religiosas tradicionais, podem formar uma combinação mortal.

Mas o pastor pentecostal local, Dragos Croitoru, insistiu que não sabia de nenhuma morte de Covid-19 na paróquia. “Aqui na igreja, não temos nenhum caso de pessoas que estão doentes com coronavírus. Temos uma taxa de mortalidade de zero por cento, não conheço ninguém que morreu de coronavírus aqui em nossa paróquia. E acredito no que vejo, ao invés do que eu ouço”, disse ele.

Apesar de ouvir da CNN sobre os corpos das vítimas de Covid-19 enchendo o necrotério do Hospital Universitário de Bucareste, Croitoru não se convenceu. “Bucareste é maior do que Bosanci, pelo que eu sei”, ele riu. “Não tivemos nenhum morto. Talvez tenhamos algumas pessoas que estiveram doentes na aldeia, sim, pelo que eu sei, sim. Mas a taxa de mortalidade em nossa igreja tem sido zero.”

A taxa de mortalidade é certamente alta em outras partes deste condado predominantemente rural. Suceava ficou em terceiro lugar nas taxas de mortalidade da Covid-19 em todo o país no início de novembro, de acordo com dados da Unidade de Saúde Pública, que monitora as mortes.

Um canto do cemitério principal em Suceava, a sede do condado que fica a cerca de 10 minutos de Bosanci, está cheio de sepulturas abertas recentemente. Na capela do cemitério, está em curso uma missa. Na colina atrás da capela, os enlutados se reúnem para um funeral. Perto dali, outro túmulo está sendo preparado.

As cruzes de madeira sobre cada nova sepultura não indicam a causa da morte, então não está claro quantos morreram do vírus. Um homem que trabalhava em uma das sepulturas, no entanto, disse que o número de pessoas enterradas recentemente foi muito maior do que o normal.

“Lamentações eternas”, diz uma fita pendurada em uma das sepulturas.

De volta ao necrotério do Hospital Universitário de Bucareste, um médico martelou um prego em um caixão de madeira. Um colega borrifou o caixão com desinfetante.

Para aqueles que morrem de Covid-19, não haverá funerais de caixão aberto.

“A vacina significa a diferença entre a vida e a morte”, disse Ionita, a enfermeira. “As pessoas deveriam entender isso. Talvez em sua última hora devam entender isso.”

Para aqueles envoltos em sacos de cadáveres pretos em sua frente, já é tarde demais.

*(Matéria traduzida. Leia a original em inglês aqui).

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Boa Vista - RR
Atualizado às 18h12 - Fonte: Climatempo
29°
Pancada de chuva

Mín. 25° Máx. 34°

33° Sensação
9 km/h Vento
70% Umidade do ar
90% (20mm) Chance de chuva
Amanhã (08/12)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 31°

Sol com muitas nuvens e chuva
Quinta (09/12)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 33°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias